21 2529-6928
21 2103-1500

Mulheres precisam de mais horas de sono do que os homens?



Entenda quais são os fatores que determinam o período ideal para um sono de qualidade

Dormir bem é um dos fatores essenciais para nos mantermos saudáveis. No entanto, além de respeitar a rotina do sono, é preciso se atentar para as horas de sono. Segundo alguns estudos em medicina do sono, as mulheres tendem a dormir um pouco mais que os homens. Porém, mais pesquisas na área precisam ser realizadas para comprovar essa hipótese

O tempo ideal de sono varia de acordo com a idade do indivíduo, enquanto um recém-nascido dorme em torno de 16 horas, uma criança em idade escolar necessita de 9 horas e um adulto em torno de 8 horas.

Uma noite de sono ruim traz um impacto diferente entre homens e mulheres. As mulheres tendem a ficar mais irritadas, podendo desenvolver depressão e ansiedade, enquanto os homens ficam mais sonolentos e fatigados. No entanto, ambos os sexos estão mais propensos a ter doenças cardiovasculares, como infarto e arritmias, quando dormem menos do que necessitam.

As pessoas que dormem uma quantidade menor que a necessária para que o organismo e a mente se recuperem, começam a apresentar sinais de esquecimento. Por vezes, procuram atendimento médico acreditando que possam estar com demência.

Na realidade, após uma noite de sono ruim, ficamos desatentos e logo passamos a ter dificuldade de reter novas informações. Além disso, é durante o sono que o aprendizado do dia anterior é armazenado de forma correta na nossa biblioteca( região temporal do cérebro). Logo, sem um sono reparador, tendemos a esquecer das coisas.

E o que seria uma quantidade de sono ideal? Essa resposta vai variar de pessoa para pessoa. A média hoje é em torno de 7 à 8 horas por dia, no entanto, existem algumas variantes, que chamamos de dormidor curto (dorme menos que 6 horas por dia) e dormidor longo (dorme 9 horas ou mais).

Essas variantes por vezes estão relacionadas a um componente genético. Mas antes de considerar esse padrão dentro da normalidade, é preciso consultar um especialista em medicina do sono, e avaliar a se há alguma doença relacionada ao sono!



Fonte: Minha Vida



Gostou ? Compartilhe !



VOLTAR